segunda-feira, 26 de março de 2018

Uma semana e tanto!

Photo by João Trindade



Avassaladora.
Inquietante.
Caótica.
Esta foi uma semana que pareceu querer levar-me ao limite e testar as minhas bases. A minha fé. Abalar os meus alicerces.

Bolas, o 15 de março chegou e com ele uma chuva de obstáculos que atentava contra a minha estabilidade emocional.

Era bomba atrás de bomba. Pelo meio sopravam-se velas e festejava-se mais um ano de vida. Meu, do meu filho, da prima, do primo e da super-tia Lu.

Do alto dos seus fresquíssimos oito anos, o mais velho marcou o Dia do Pai com palavras sérias e acutilantes.

Os dias foram-se somando e a tensão (emocional) variava entre alta e muita alta, com o Sarampo a querer também fazer parte da festa!

Uma montanha-russa de preocupações e emoções que foi abrandando a velocidade,  muito por conta do amor e compreensão do marido, das surpresas doces que chegavam pelo correio e da amizade incansável da super-família. Uma divertida jogada de monopólio em família e temos as baterias carregadas! (Obrigada, cunhadinhos!)

Ora, e dizem que passou apenas UMA Semana?! 🤔 Really?! 😱 Uma semana Só?!


quinta-feira, 1 de março de 2018

dores de crescimento de uma mãe





É impressão minha ou nos últimos meses cresceste anos-luz? 😱 Não sei se é porque é março e a data de mais um aniversário se aproxima, a verdade é que te vejo demasiado crescido para um coração de mãe que quer a sua cria bem debaixo da sua asa.

Vejo-te com outra timidez e, mais frequentemente, com o pensamento distante. Um pouco ao jeito de um adolescente.

Confesso que me sinto ainda pouco preparada para aceitar que deixes de ser o meu menino pequenino, de sorriso fácil e maroto, para te tornares o rapazinho, agora mais desligado, que quer o seu espaço.

Bem sei que faz parte, que este é o sentido saudável e natural da vida, mas custa. Custa-me tanto, ao ponto de achar que as dores de crescimento quem as está a sentir sou eu!!! 🙇


quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

"Para, olha e regressa!"





O ano ainda há pouco começou, com direito a todo um ritual de passagem, mas a verdade é que já sinto necessidade de renovar a serenidade aí prometida e alcançada.

É chegada a altura de voltar a parar e acalmar pensamentos. Baixar defesas. Recolher.

É chegada a altura de esvaziar o peso interior e expirá-lo com força. Pausadamente.

Sem me aperceber, a Quarta-feira de Cinzas chegou em jeito de impulso. De proposta. É Quaresma.

E, por isso, aproveitando as palavras do Papa Francisco: "Para, olha e regressa"!






domingo, 21 de janeiro de 2018

CrAstina ❤



Não poderia "abrir" as publicações deste ano do blogue com missão mais bonita: a partida da minha CrAs para um Mundo Maior.

Uma das pessoas mais extraordinárias com que a vida me presenteou, decidiu ser tempo de fazer ainda mais pelos outros, com a coragem gigante de deixar para trás o conforto da "nossa vidinha".

Partes e parte de ti fica cá, comigo. Connosco.
Partes e parte de mim vai contigo, para essa terra de Sol ardente, fértil de amor e natureza.

Partes por um ano e guardo-te num abraço apertadinho, até ao teu regresso.

Wherever you go, keep shining and smiling! Itoculo will never be the same again! 😊

Porque se há sorriso que encanta, esse sorriso é o teu, minha CrAs! ❤

Obrigada! Muito obrigada!

domingo, 31 de dezembro de 2017

ritual de passagem


Ainda bem que, todos os anos, o ano chega ao fim e outro começa. E não, não é pela festarola ou réveillon que o digo.

Refiro-me a todo um ritual de passagem que se gera e que nos permite renascer, tal como o novo ciclo que se inicia.  Com mais ou menos profundidade, com mais ou menos verdade, com mais ou menos tempo, paramos. Todos paramos. Olhamos para dentro. Olhamos em redor. Voltamos a olhar para dentro e projetamo-nos. Sonhamos. Queremos.

Com mais ou menos força, acreditamos que no ano novo é que é! E isto é bom. É o que nos permite evoluir, mesmo que no final desse ano novo vejamos que afinal nem tudo se cumpriu. Pelo caminho esmorecemos, obstáculos irreparáveis se ergueram e sofremos.

Importa é não perdermos a vontade de renascer. Das cinzas, da dor, de nós próprios.

Vem daí, 2018, estamos preparados! Ou não... 😊