domingo, 10 de junho de 2018

Marcas


Hoje dei por mim a olhar para as minhas marcas. Não as da pele, mas aquelas bem mais profundas que selam a nossa alma. Tatuam o nosso coração. Ficam cravejadas no nosso eu.

São marcas que ficam para a vida toda. São lembretes infalíveis do que de muito bom vivemos e do que muito sofremos. São marcas. De momentos Bons e Maus. São marcas e ficam para sempre.

E hoje lembrei-me daquele abraço apertado, da Rita, a meio da noite (aquela primeira noite!), quando agonizava inconsolável ao me aperceber que NUNCA MAIS dormiria contigo. NUNCA MAIS adormeceria no aconchego do teu calor.

Momentos marcantes. Abraços que ficam para a vida.

Muitas mais marcas há, de diferentes formas e feitios, como aquele encontrão (ao virar da esquina) que guardarei para sempre, mas hoje foi este abraço que veio ao de cima! Porque se nos marcam, ficam para sempre. E ainda bem!

E tu, de que formas são feitas as tuas marcas?



quinta-feira, 24 de maio de 2018

chuva



A chuva cai lá fora
Limpa a rua, o campo e a cidade
À espera que chegue a hora
Nasça o dia e traga felicidade

As lágrimas teimam em cair
Limpam o rosto e a alma
Terapêuticas e com calma
Sossegam quando me virem sorrir

🙏


terça-feira, 15 de maio de 2018

Família ao molho e fé em Deus





Hoje apregoa-se o Dia da Família. Aquele dia que celebro todos os dias, amontoada, no sofá, com os meus pedacinhos de céu e o maridão. Simplesmente assim: os quatro ao molho! A ver a Masha, claro!!

Já nem sei adormecer sem antes vibrar com as histórias da russa Masha e o seu amigo Urso.

Os dias podem correr agitados, à velocidade de deadlines e das várias atividades, mas chegam à noite e param. Mais ou menos à mesma hora, no mesmo sofá e sob a mesma melodia. E assim somos família! Todos dias. Com fé em Deus e no Amor.



segunda-feira, 26 de março de 2018

Uma semana e tanto!

Photo by João Trindade



Avassaladora.
Inquietante.
Caótica.
Esta foi uma semana que pareceu querer levar-me ao limite e testar as minhas bases. A minha fé. Abalar os meus alicerces.

Bolas, o 15 de março chegou e com ele uma chuva de obstáculos que atentava contra a minha estabilidade emocional.

Era bomba atrás de bomba. Pelo meio sopravam-se velas e festejava-se mais um ano de vida. Meu, do meu filho, da prima, do primo e da super-tia Lu.

Do alto dos seus fresquíssimos oito anos, o mais velho marcou o Dia do Pai com palavras sérias e acutilantes.

Os dias foram-se somando e a tensão (emocional) variava entre alta e muita alta, com o Sarampo a querer também fazer parte da festa!

Uma montanha-russa de preocupações e emoções que foi abrandando a velocidade,  muito por conta do amor e compreensão do marido, das surpresas doces que chegavam pelo correio e da amizade incansável da super-família. Uma divertida jogada de monopólio em família e temos as baterias carregadas! (Obrigada, cunhadinhos!)

Ora, e dizem que passou apenas UMA Semana?! 🤔 Really?! 😱 Uma semana Só?!


quinta-feira, 1 de março de 2018

dores de crescimento de uma mãe





É impressão minha ou nos últimos meses cresceste anos-luz? 😱 Não sei se é porque é março e a data de mais um aniversário se aproxima, a verdade é que te vejo demasiado crescido para um coração de mãe que quer a sua cria bem debaixo da sua asa.

Vejo-te com outra timidez e, mais frequentemente, com o pensamento distante. Um pouco ao jeito de um adolescente.

Confesso que me sinto ainda pouco preparada para aceitar que deixes de ser o meu menino pequenino, de sorriso fácil e maroto, para te tornares o rapazinho, agora mais desligado, que quer o seu espaço.

Bem sei que faz parte, que este é o sentido saudável e natural da vida, mas custa. Custa-me tanto, ao ponto de achar que as dores de crescimento quem as está a sentir sou eu!!! 🙇