sexta-feira, 5 de maio de 2017

Pais, não colapsem! Não há necessidade!


Um ALÔ aos pais que, com bastante frequência, entram em colapso quando as paredes de casa ganham outros "contornos" ou quando o carro vira repositório de material... digamos... próximo de lixo:

Eles - os filhos - serão crianças apenas uma vez na vida. Já nós - nós seremos pais a vida toda! Por isso, deixemos as chatices para mais tarde! Aproveitemos as suas "asneiras" - próprias de quem é criança -  para lhes estimularmos a criatividade e serem felizes. Eles e nós!

[E com isto habilito-me a ouvir sermão e missa cantada quando chegar a casa... 🤔]

segunda-feira, 17 de abril de 2017

É Alentejo. É Amor.




É Alentejo. É Páscoa. É campo.
É Alentejo. É Páscoa. É Família.
É Alentejo. É Páscoa. É tempo de renovação.

É Alentejo. É Páscoa. É Amor.


domingo, 26 de março de 2017

pequenos, mas grandes na diferença!




















Causa-me alguma confusão ver que, para algumas pessoas (se calhar, muitas), importa é fazer em grande, organizar eventos de caridade em grande, ser voluntário "em grande". Um "em grande" que significa "em grande visibilidade", "lá fora" e "grande impacto" . E esquecem-se que a grande diferença poderá estar no mais singelo gesto/palavra com a pessoa que está ao nosso lado. No autocarro, no comboio, no trabalho, na família, na rua.

Nada contra as grandes ações grandes, desde que não nos esqueçamos de que se conseguirmos, de alguma forma, tocar/chegar a alguém, já estamos a transformar e a fazer a diferença.

E fico-me por este sábio provérbio africano e por todos os "mosquitos" que, na sua pequenez, vão agitando a sociedade.

domingo, 19 de março de 2017

dia do pai "sem" o pai



Há sete anos, tinhas um dia, apenas. E esse era o teu primeiro dia do pai. Era sexta-feira e, obviamente, estávamos no hospital.

À hora marcada, as visitas fizeram-se chegar. Ainda estávamos​ apenas eu e tu, as outras mães e os bebés, quando ouço a voz de uma menina cantar ao seu papá. Em visita à mana que tinha nascido, a linda menina lembrava que era Dia do Pai e cantava como um anjo.

Uouuu. Estávamos apenas eu e tu, meu filho. Não consegui conter as lágrimas, meu amor. Chorei, desculpa, mas chorei. Era o teu primeiro dia do pai e o teu pai não estava para te segurar ao colo. E na minha cabeça via já todos os dias do pai a chegar e tu sem essa figura a quem entregar um presente que farias com tanto amor e criatividade.

Sussurrei ao teu ouvido que o papá estava no céu e que nunca, mas nunca te abandonaria. Nem ele. Nem eu. Nunca.

Uouuu. Volvidos sete anos, o Dia do Pai chegou e o Céu fez-se presente, através do teu maravilhoso pai do coração. Sim, filho, o pai. Esse a quem, todos os dias, chamas pai e com quem te delicias a jogar à bola e saltar para o pescoço para chegares mais alto.

Uouuu. Como misteriosos e maravilhosos são os desígnios de Deus! Desígnios esses que querem apenas que sejamos felizes. E de forma simples: basta acreditar. Mas não é "apenas" acreditar. É Acreditar mesmo!!

Felizes dias do pai, todos os dias, a todos os pais, padrinhos e simpatizantes da paternidade!


quarta-feira, 15 de março de 2017

40 à vista!! :D



Hoje, logo pela manhã, reparei que consigo avistar de forma mais nítida os 40!! Avisto-os com clareza, não pela proximidade, mas porque a vistinha ainda é boa e cá dentro corre jovialidade. Pelo menos, é isto que sinto! :)

Os 35 chegaram e o saldo acumulado é de tal forma positivo e feliz que não tenho como não o dividir. E confirma-se a máxima: quanto mais o divido, mais ele cresce. Como bem apregoa o Centro Comunitário mais famoso do país, a Felicidade multiplica-se quando a dividimos. [#multiplicarafelicidadedividindoa]. É mesmo assim.

E hoje uma imensidão de gente bonita resolveu dividir comigo mensagens calorosas e cheias de energia boa. E agora eu, para as conseguir replicar, multiplicar e dividir, precisarei de triplicar estes 35! No mínimo. Venham eles e que, pelo caminho, sejamos felizes!


[Ora, com esta idade, julgo poder inscrever-me no Centro Comunitário e garantir o meu lugar, para quando a
vistinha já me falhar, ainda que, nessa altura, a jovialidade continue certamente a brotar das minhas entranhas!]