segunda-feira, 22 de julho de 2019

Filho D'ouro



Dez anos.
Verdade. Passaram-se dez anos, desde que Te vi pela última vez.
Poderia aqui recordar cada hora deste dia, que começou bem cedo, cada pormenor e cada emoção.
Mas não.

Uma década depois, deixo-me maravilhar pelo presente que, deixado a germinar no meu ventre, vai crescendo. Vai crescendo e vai-me mostrando, cada vez mais, o Teu rosto. Ora espelhado nas águas do Douro, ora em cada manhã, com os olhos ensonados e uma vontade voraz de aproveitar o dia. Ao máximo. Assim é, este meu Filho D'ouro*!


Por agora fecho os olhos e viajo até à terra que Te viu nascer, às margens do Douro e à brisa com sabor a amêndoa...

















*vezes dois. Dois filhos que "valem mais que todo o ouro do mundo"!

sexta-feira, 14 de junho de 2019

A delícia do dolce far niente



Na última década, foram tão poucos os dias em que pude tirar umas horas só para mim que quando isto acontece sinto-me como que a levitar!

A brisa, o som do mar e a intensa maresia deixam-me os sentidos inebriados e permitem-me pensar única e exclusivamente no aqui e agora. Agradeço. E volto a agradecer.

Escrevo. Pauso prolongadamente para saborear. E leio.

E é este raro delicioso dolce far niente, algures no areal, que em muito terá contribuído para a subida dos níveis de serotonina, oxitocina e demais “inas” que naturalmente estimulam a nossa Felicidade!

Namastê! 🙏🏼


quarta-feira, 12 de junho de 2019

Go with the flow!




Alinhadas e elegantes.
Dançam ao sabor do vento, sob os holofotes do Sol e sem falhar o passo!

E há dias assim: de deixar ir e deixar fluir. Deixar-se levar para onde o vento soprar!

Hoje é o dia!

G-o   w-i-t-h    t-h-e    f-l-o-w!!!



P.S. - And a book. Always with a book! 🤙

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Ana


A Ana partiu.
Partiu mais cedo. Cedo demais.

Conheci a Ana  no trabalho de call center. Em 2006. Lisboa. A leveza das nossas conversas e a simplicidade na sua forma de estar marcaram-me para sempre.

A Ana foi a pessoa que me levou para o yoga, numa altura em que esta não era ainda a prática da moda. Os cafés na Quinta do Conventinho, na esplanada na Póvoa ou na Estrela eram como vigorantes terapias. Amizade da boa.

A vontade de ser fermento na massa levou-nos à Quinta da Serra, no Prior Velho. Arregaçar as mangas e bora lá limpar o bairro. Trabalho árduo compensado com os mil e um sorrisos que víamos no rosto das crianças que lá viviam. Feliz estavas com tanto colinho que davas!

De sorriso terno, complacente e muito prestativa. Boa conselheira. A melhor, diria! Foi assim que a conheci e para sempre a guardarei.

Muito obrigada, amiga querida! Namastê!



terça-feira, 19 de março de 2019

Ser pai sem imposição ou travão




Chega o Dia do Pai e cá dentro instala-se o rebuliço de sempre. Aquele rebuliço que me faz parar, chorar e agradecer.

Hoje não é exceção, mas hoje quero, porém, enfatizar a minha gratidão por quem está neste comboio de viagens alucinantes e que ama sem pôr a mão ao travão.

É a ti que me dirijo hoje, R. É a ti que agradeço teres embarcado nesta viagem da paternidade, sem imposição de qualquer laço de sangue. Simplesmente por Amor. Por Missão. Com o coração. Obrigada! Obrigada!


A todos os pais que amam sem travão e com o coração: dias felizes!


P.S.
- Mais logo quero é ver quantas piscinas fazes em nome desse Amor, ao lado do João!! :p 



domingo, 10 de março de 2019

Mónica



Tal como o farol está para as embarcações, assim é a Mónica na minha vida!

Orientação. Porto seguro.

Há uma década (e pico) que assim é. Ainda que fisicamente poucas oportunidades tenhamos de nos abraçar, nem por isso deixamos de estar juntas. No coração. No pensamento.

As poucas centenas de quilómetros que hoje nos separam vão quadriplicar muito em breve. E provavelmente sem retorno. Continuaremos, porém, como sempre, desde o primeiro encontro nos Médicos do Mundo, no Prior Velho, a valermo-nos do c(oração).  Do querer bem ao outro. Estejamos mais perto ou mais longe.

"Eu vou, mas a nossa conexão permanece". É com estas palavras que se despede, acrescentando o adorável “Xau, minha querida”, com o sotaque francês mais doce do mundo.

A somar aos teus oitenta anos, peço mais vinte! Parece-me razoável, Mónica! 💪

À bientôt!



 Por falar em uma década...


domingo, 6 de janeiro de 2019

O quarto Mago 🧙‍♂️



Hoje, dia de Reis, cruzei-me com um Mago. Daqueles de verdade. Sem cavalo ou camelo.
Vinha de carro. Apercebendo-se que o caminho que tínhamos pela frente era longo, deu-nos uma ajudinha para chegarmos ao nosso destino.

O sinal de que precisava para continuar com alegria e perseverança brilhava à minha frente.
Imensamente grata, continuei o caminho. A sorrir.

Quando tudo e todos se amontoavam para seguir no cortejo dos Reis, eis que apanho, assim, sem contar, o quarto Rei Mago, despojado de coroa e pedras preciosas, mas vestindo um coração de ouro!

Feliz Dia de Reis, com atenção aos sinais! ✨  No céu, no comboio, no trabalho, no café.

Sejamos felizes! 🙏🏼